TECNOLOGIA ASSISTIVA



Tecnologia Assistiva é o nome dado ao conjunto de recursos utilizados para ajudar pessoas com deficiência com suas habilidades funcionais, tornando sua vida mais fácil e independente, promovendo melhor qualidade de vida e inclusão social. As tecnologias assistivas agem de forma a ampliar a mobilidade, comunicação e habilidades de aprendizado.

Já pensou nos desafios que uma pessoa com deficiência enfrenta no cotidiano? Mesmo com várias campanhas, programas informativos, cursos online e palestras que visam conscientizar a população, muita coisa ainda precisa ser feita para que todos os direitos desse grupo sejam cumpridos. Infelizmente, faltam recursos para que cegos, surdos, cadeirantes, indivíduos com transtornos do desenvolvimento e demais possam viver melhor.

Por isso, torna-se essencial fortalecer o debate para evidenciar sempre esse tema, para que todos possam se engajar na luta e cobrar dos órgãos públicos e privados melhores condições, sobretudo quando se trata de acessibilidade e educação. Felizmente, já existe um conceito ideal para isso, mas que necessita de maiores investimentos e popularidade: a tecnologia assistiva.

Para muitos, esse termo ainda soa como novidade, ainda mais aqueles que não convivem com pessoas com deficiência em seu dia a dia. Logo, se vê essa necessidade de desmitificar tudo que diz respeito ao tema, quais seus objetivos e propósitos para que, com a informação, possa ficar cada vez mais popular e acessível para aqueles que precisam.

Definindo a tecnologia assistiva

Imagine a multiplicidade quando se trata de deficiências. Há vários casos diferentes e que, obviamente, devem ter necessidades distintas. A abordagem educacional para um cego, por exemplo, não será a mesma de um surdo. Já um autista, por sua vez, pode ser direcionado a ferramentas e disciplinas que não servem para um indivíduo com síndrome de Down. Nesse contexto, imagine a amplitude de ambientes, produtos e serviços para cada grupo. Essa pluralidade leva a necessidade de materiais, práticas e tudo que seja pertinente para tornar a vida de diversos indivíduos menos dificultosa.

Infelizmente, muita gente ainda acredita que uma pessoa com deficiência não pode aprender, frequentar lugares públicos e realizar qualquer atividade, como passear, se divertir, namorar. Não precisamos nem dizer que esse é um pensamento que não faz sentido nenhum. Com o tempo, o conhecimento e os auxílios se modernizaram e estão cada vez mais democráticos.

Isso só foi possível devido a estudos, pesquisas e testes que são otimizados com o objetivo de melhorar a vida das pessoas com deficiência em todos os quesitos. São esses termos teóricos e práticos que compõem e definem a tecnologia assistiva, que trata-se de uma união de vários fatores fundamentais e versáteis, realmente progressista.

Sendo assim, a tecnologia assistiva (TA) é vista como uma verdadeira área do conhecimento, um conjunto de práticas, recursos, materiais, metodologias, serviços, produtos e estratégias que visam aumentar a participação, inclusão social, autonomia, qualidade de vida e independência das pessoas com deficiência, incapacidades, transtornos e mobilidade reduzida. Nessa base, incluem-se diversos profissionais que trabalham em distintos ramos para desenvolver aparatos, pesquisas e tudo que seja necessário para garantir a aplicação da TA em todos os lugares e pessoas em geral.

Conforme avança, esse conceito integra vários campos, da psicologia à engenharia. Por isso, é visto como versátil e um trabalho de muitas áreas – logo, se vê necessário para qualquer pessoa conhecer a TA com detalhes, fazendo cursos a distância a respeito do tema, por exemplo. No próximo tópico, você saberá aonde ele se torna primordial.

Campos de aplicação da tecnologia assistiva

Há campos fundamentais para que a TA seja colocada em prática. Não é à toa que para todas as pessoas que atuam nessas áreas, é recomendado fazer o curso online tecnologia assistiva para saber cada vez mais sobre o tema e como aplica-lo com excelência. As principais são:

Educação: é impossível deixar os recursos da tecnologia assistiva de lado quando se pensa em educação especial inclusiva. Como cada criança precisa de uma abordagem única durante o Atendimento Educacional Especializado (AEE), somente com os materiais dispostos nessa área é possível tornar sua alfabetização e comunicação eficientes. Não é à toa que as escolas devem se preparar cada vez mais para isso, considerando sempre as políticas governamentais de inclusão social.

Saúde: a saúde tem importância total em qualquer tipo de deficiência, tanto no acompanhamento quanto para o aumento do bem-estar das pessoas desse grupo com novas técnicas e pesquisas. Nesse caso, incluem-se os mais variados profissionais, de fonoaudiólogos até ortopedistas.

Tecnologia: a tecnologia já está explícita no próprio nome, justamente para mostrar que, com as descobertas e a inovação, é possível chegar a grandes resultados. Hoje em dia, há vários estudos que mostram o quanto ela é essencial para a acessibilidade, mobilidade, aprendizado, entre muitas outras formas de tornar a vida de uma pessoa com deficiência melhor.

Engenharia: a engenharia é inerente a muitos projetos, sobretudo de mobilidade. No caso da TA, pode ser aplicada tanto em um aparelho ou objeto essencial para uma pessoa com deficiência, quanto nos espaços públicos para melhoria da acessibilidade, orientação e conforto.

Arquitetura e Design: essas áreas trabalham quase sempre em conjunto com a engenharia, seja no desenvolvimento de aparatos primordiais para uma deficiência física, por exemplo, até a aplicação de projetos em ambientes comuns para que o indivíduo possa realizar tarefas básicas de modo mais simples e fácil, como em sua própria casa ou na empresa onde atua.

Assistência Social: a assistência social serve para amparar as pessoas mais carentes, que por vezes não têm conhecimento de seus direitos como deficiente e quais órgãos devem recorrer em caso de necessidades básicas. Em muitos casos, a própria família desconhece os benefícios disponibilizados pelo governo e as leis dispostas para esse grupo, como o recebimento de auxílios (em caso de renda baixa ou nula) e demais recursos necessários para sua sobrevivência e adaptação a diversos lugares.

Psicologia: na psicologia, a tecnologia assistiva se dá tanto no apoio ao indivíduo com transtornos globais do desenvolvimento e condições diversas como autismo, como para sua família e demais agregados que convivem com ele. Além disso, caminha lado a lado com os parâmetros da saúde e educação, como acontece na comunicação alternativa, por exemplo.

Informática: informática tem tudo a ver com tecnologia e seus variados dispositivos e softwares têm grande valia para a TA. Desde a ascensão desses aparatos, hoje em dia a inclusão social é maior e atinge grande parte da população que necessita de recursos básicos de interação, entre muitas outras vantagens.

Recursos Humanos: se tecnologia assistiva tem tudo a ver com as melhores condutas de acessibilidade e inclusão, toda empresa pode fazer uso de seus materiais e conceitos para ficar cada vez mais adaptada e própria para receber funcionários com diversos tipos de deficiência. Além da administração, o setor de recursos humanos é aquele que lidará diretamente com esse público, tanto na contratação quanto na solicitação de mudanças essenciais para seu bem-estar, como elevadores, computadores, cadeiras, entre outros equipamentos.

Exemplos de tecnologia assistiva:

Rampas de acesso a calçadas e a prédios;

Andadores;

Lupas manuais ou eletrônicas;

Softwares ampliadores de tela;

Aparelhos para surdez;

Avatares Libras.


FONTE: https://www.educamundo.com.br/blog/curso-online-tecnologia-assistiva

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo