top of page

Pelé é pop: 30 curiosidades do Rei no futebol, cinema e negócios



O nome mais popular do centenário mundo do futebol transcendeu os limites do esporte. Pelé foi muito mais do que meramente um personagem dos gramados. Junto com sua camisa 10, a branca ou a amarela, se transformou em um autêntico ícone visual do século 20.


As quatro letras mais populares do futebol acabaram na música, no cinema, na política e mundo dos negócios. O rosto do jogador brasileiro foi um dos mais fotografados de século que passou. Pelé é pop, dentro e fora dos gramados. O UOL Esporte lista abaixo 30 curiosidades sobre o rei.


Batizado em homenagem a inventor


Seu nome foi uma homenagem dos pais a Thomas Edison, o inventor da lâmpada. No entanto, na hora de registrar o filho, Dondinho sem querer acabou retirando uma das letras. O menino acabou chamado de Edson.


Primeiro time se chamava Sete de Setembro


Quando tinha dez anos, Pelé montou seu próprio time, o Sete de Setembro. Para comprar os uniformes, ele e os amigos roubaram amendoins de vagões de trem para vender na cidade.


Ganhou dinheiro com o futebol aos dez anos


Atuando pelo Ipiranguinha, time de pelada de Bauru, Pelé embolsou seu primeiro "bicho" no futebol ainda na infância. Foram 4.500 réis de pagamento após uma partida na cidade.


Suposta experiência gay na juventude


Em 1981, em uma entrevista para a revista Playboy, Pelé afirmou que perdeu a virgindade com um menino gay da cidade. Anos mais tarde, o ídolo disse ter sido mal interpretado, argumentando que na verdade era o resto do time do Baquinho que se relacionava com o homossexual.


Neuzinha foi a primeira namorada


Neuza Kitizo Uyheara era uma das vizinhas de Pelé na rua Sete de Setembro, em Bauru. Apenas a casa do amigo Baroninho (que jogaria no Palmeiras) separava as residências de Edson e Neuzinha. Mas o relacionamento esfriou quando o adolescente foi morar em Santos.


Pelé quase jogou no Bangu em 1956


O adolescente de Bauru quase foi parar no clube do Rio de Janeiro. O técnico Tim havia acertado a transferência com Dondinho, pai de Pelé, mas a mãe, Dona Celeste, não queria o filho morando tão jovem em cidade grande.


Mentor foi quem o levou para Santos


Valdemar de Brito foi um jogador conhecido dos anos 30 e defendeu a seleção brasileira na Copa de 1934. Ele era amigo de Dondinho e foi o responsável por levar o garoto Edson até o Santos em 1956. Brito foi uma grande influência para o craque no início de sua trajetória.


Perdeu a primeira final pelo Santos


Em 1956, Pelé perdeu sua primeira final vestindo o manto branco do Santos. O futuro rei desperdiçou um pênalti e amargou o vice-campeonato na decisão da Liga Amadora da cidade, contra o Jabaquara.


Foi oferecido e recusado pelo Vasco


Após a derrota na Liga Amadora de Santos, Pelé foi oferecido ao Vasco da Gama, que o recusou ao saber de sua idade. O clube carioca mudaria de opinião após um torneio internacional no ano seguinte, em que Pelé vestiria a camisa vascaína em um combinado Vasco-Santos, mas já era tarde.


Pancada de corintiano quase o tirou da Copa


Um jogo-treino entre a seleção e o Corinthians, no Pacaembu, quase mudou a história do futebol. Pelé sofreu uma pancada no joelho do zagueiro Ari Clemente e por pouco não foi cortado da Copa do Mundo de 1958 pelo técnico Vicente Feola. O garoto do Santos acabou viajando para a Suécia ainda em recuperação.


Incêndio na Record "destruiu" golaço


Os registros de uma das jogadas mais bonitas da carreira de Pelé foram destruídos num incêndio nos arquivos da TV Record, nos Anos 1960. O lance em questão é conhecido como "Gol de Placa", uma jogada eternizada no Maracanã em março de 1961, na qual o santista passou por metade do time do Fluminense antes de marcar.


Acordo com a Puma mexeu com o mercado


Na época em que todas as chuteiras eram pretas, Pelé foi o primeiro jogar do mundo a virar alvo das grandes marcas esportivas. Ele assinou com a Puma antes da Copa de 1970 e recebeu US$ 25 mil para calçar o modelo durante o Mundial, no México, e mais US$ 100 mil por quatro anos de contrato.


Fez quatro jogos como goleiro


O ídolo atuou como goleiro em quatro partidas durante a carreira. A mais famosa dela foi contra o Grêmio, entrando no decorrer do jogo. Em outra, Pelé já começou com as luvas, em amistoso diante da Costa do Marfim.


Corinthians é sua maior vítima


Jogando pelo Santos, Pelé fez do rival da capital a sua maior vítima. Foram 49 gols marcados em 49 confrontos. Neste período, o Corinthians ficou 11 anos sem vencer o clube da Vila Belmiro, entre 1957 e 1968.


Formou-se em educação física


Nos últimos anos como jogador do Santos, nos anos 1970, Pelé conseguiu conciliar o futebol com os estudos. Ele se formou em educação física, pela instituição hoje conhecida como Universidade Metropolitana de Santos.


Ajudou a lançar o Café Pelé


A marca de café que levava o nome do jogador foi criada em 1970, depois da assinatura do atleta com a Cacique. O Café Pelé foi exportado para diversos países do mundo e ficou bastante famoso.


Compôs música para Jair Rodrigues


Pelé se aventurou na música, uma de suas grandes paixões. Sua composição de maior prestígio é "Cidade Grande", que fez sucesso na voz de Jair Rodrigues.


Lançou álbum com Sérgio Mendes


Durante a experiência nos Estados Unidos, Pelé lançou um álbum de 13 músicas, produzido por Sérgio Mendes, um dos nomes mais famosos da MPB radicados na América do Norte.


Foi muso do artista pop Andy Warhol


Warhol foi uma celebridade do século 20, conhecido como principal ícone do movimento das artes plásticas batizado de "pop art". Pelé foi um de seus "atletas musos" ao longo dos anos 1970, junto com o pugilista Muhammad Ali.


Protagonizou comercial de videogame


No início da era do videogame, Pelé foi um dos primeiros atletas a ter a imagem vinculada com um jogo. O brasileiro assinou com a Atari no início dos anos 80 para difundir a novidade no mercado americano. O jogo ficou conhecido como Pelé's Soccer.


Inspirou personagem de gibi


Em conversas com o criador da Turma da Mônica, Pelé ajudou a desenvolver o personagem Pelezinho. A figura nasceu em 1976 e teve publicações periódicas em quadrinhos até 1986. Recentemente Maurício de Souza relançou o personagem.


Atuou em nove filmes


Pelé foi creditado em nove filmes. O mais ilustre dele é "Fuga para Vitória", em que dá conselhos sobre futebol a Sylvester Stallone. Também protagonizou cena de sexo com Tereza Rachel e fez humor com os Trapalhões.


Celebrou 50 anos jogando pela seleção


Em 1990, Pelé festejou o aniversário de 50 anos em campo, em sua última partida com a seleção brasileira. O Rei atuou pela seleção na derrota por 2 a 1 para um combinado internacional, em Milão (gol de Neto). No lance mais famoso do jogo, o ponta Rinaldo ignorou Pelé livre, pedindo bola, e chutou torto no gol.


Foi ministro dos Esportes


A Lei Pelé, que acabou com o passe no futebol brasileiro, foi o principal legado do Rei em sua passagem pelo ministério do Esporte, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso.


Foi garoto-propaganda do Viagra


Em 2002, Pelé foi escolhido pela gigante da indústria farmacêutica Pfizer para ser o garoto-propaganda de um remédio revolucionário contra a disfunção erétil. O ídolo protagonizou comerciais por todo o mundo. No Brasil, uma frase sua ficou célebre: "Fale com seu médico. Eu falaria”.


Errou uma bandeirada na F1


Em 2002, Pelé daria a bandeirada final para o vencedor do GP do Brasil de Fórmula 1, em Interlagos. No entanto, o craque se distraiu e acabou perdendo a passagem do vencedor, o alemão Michael Schumacher.


Documentário reproduziu gols perdidos


Ao todo, o filme "Pelé Eterno" exibe 400 gols marcados pelo ídolo de Santos e seleção brasileira, sendo seis deles inéditos. Duas jogadas sem registros em vídeos foram recriadas por computação: o gol contra o Juventus em 1959 (o preferido do rei) e o gol de placa contra o Fluminense no Maracanã.


Foi sacaneado pelos Simpsons


Em 1997, num episódio que retratava o futebol pela perspectiva dos estadunidenses, Pelé foi ilustrado negativamente. O brasileiro comparece para o pontapé inicial de um amistoso entre México e Portugal, diz algumas palavras para o patrocinador, recebe um saco de dinheiro e vai embora.


Foi o primeiro entrevistado de Maradona


Apesar da rixa de décadas sobre quem foi o melhor jogador da história do futebol, Pelé aceitou ser o convidado no programa de estreia de "La Noche del Diez", programa comandado por Diego Maradona na TV argentina. No ar, ambos bateram bola e até cantaram juntos.


Pelé vendeu sua marca para a Legends 10


No final de 2010, a lenda do esporte acertou a venda de sua marca para a Legends 10, começando a planejar a saída de cena do mercado publicitário. A ideia era diminuir gradativamente o ritmo de compromissos e viagens pelo mundo.




3 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page